Palavra do Provincial

Frei Andre Tavares.jpeg

Domingos: a humanidade de um pregador

“Deus, que manifestou a ternura (benignitatem) e a humanidade de nosso Salvador em seu amigo Domingos, vos transfigure à imagem de Seu Filho”. Encontramos esta formulação na bênção solene para o dia de São Domingos, no lecionário próprio de nossa Ordem. Domingos traz em si a ternura do próprio Senhor. Para o antigo Mestre da Ordem frei Bruno Cadoré, como lemos em sua carta “A Santidade de Domingos, luz para a Ordem dos Pregadores” (2018), nesta ternura encontra-se o coração da santidade de Domingos.

Neste quadro, não é à toa que o escritor francês Georges Bernanos, autor de uma vida de São Domingos, define a Ordem dos Pregadores “como a própria caridade de São Domingos realizada no espaço e no tempo, como se fosse sua oração visível” (Saint Dominique, 1939, p. 10); caridade de um homem de “terna urbanidade, que seus filhos tanto amaram” (p. 18).

Em um mundo e numa Igreja onde as divisões se aprofundam, não faltam palavras cheias de ódio e de dureza. Quantas não são as pessoas que se sentem longamente feridas por ações e discursos duros, frutos de impulsos e preconceitos.

Logicamente, o mistério do mal, do pecado e da fragilidade humana sempre se fazem presentes em nossas vidas (e querer explicar cabalmente estas realidades pode nos levar à tentação de justifica-las, lembrava Paul Ricœur). Justamente por isso, na escola de Domingos aprendemos a “lutar” não com as armas do mal, que machucam e dividem, mas confiando na força da caridade.

Como lemos nas atas do processo de canonização de São Domingos, nosso Pai “era tão cheio de zelo pela salvação das almas que sua caridade e sua compaixão estendiam-se não somente aos fieis, mas também aos infiéis, aos pagãos e mesmo aos condenados ao inferno” (testemunho de frei Ventura de Verona, 11). Boa festa de São Domingos. Bom mês vocacional.

fr. André Luis Tavares, OP
prior provincial

Notícias

 
 

Calendário

Vocação Dominicana

predelle_edited_edited.jpg

Ordem dos Pregadores

"Contemplar e levar aos outros o contemplado"

STh II-II, q. 188, a. 6, r.